fbpx
Close

Quer empreender? Controle a inadimplência

Muitos empreendedores iniciam seus negócios a partir de suas habilidades profissionais. Alguns são bons na confecção de bens e serviços, outros são mais focados na área comercial. Enfim, de alguma maneira conhecem o produto ou serviço a ser oferecido.

Quando resolvem abrir seu empreendimento começam a se deparar com alguns problemas. Que na maioria das vezes não estão preparados para enfrentá-los, como lidar com pessoas, fornecedores e principalmente com as finanças da empresa.

Neste particular, é fundamental elaborar e controlar o fluxo de caixa, sabendo de onde vem e para onde vai o dinheiro. Sendo que, tão importante como conquistar um cliente, portanto, efetivar venda, é ter bons critérios de concessão de crédito.

Por sinal a venda a prazo, representa o momento mais agudo na empresa no tocante ao risco: entrega-se o produto ou presta-se o serviço com a promessa de receber no futuro, se isso não ocorrer, perda na certa.

Desta maneira surge aqui a necessidade de estabelecer métricas de concessão de crédito. Uma pesquisa nos bancos de dados de negativados e utilizar os dados do cadastro positivo podem oferecer a segurança necessária para reduzir os riscos de inadimplência.

Mesmo fazendo a lição de casa é possível que alguns clientes atrasem seus pagamentos. Neste momento surge a necessidade de criar indicadores para acompanhar este desempenho.Um indicador é o Índice de Atraso Geral (IAG).

O cálculo é fácil: levante o valor em dinheiro do atraso no recebimento (já a partir de um dia de atraso) e divida pelo total de seu “contas a receber”.

Depois multiplique por 100. Por exemplo: a soma de clientes que não pagaram no vencimento foi de R$ 2.500,00. O total de Contas a Receber a prazo é de R$ 25.000,00.

Neste exemplo seu Índice de Atraso Geral será de 10%, ou seja, 2.500 dividido por 25.000 multiplicado por 100. Neste momento o empreendedor deve estabelecer metas para reduzir este índice.

Outro indicador é o Índice de Atraso Parcial (IAP). Neste caso são considerados os títulos atrasados acima de 30 dias. O cálculo é mesmo: divida o volume em Reais de atraso acima de 30 dias sobre o total de “contas a receber”. Este índice aponta indícios de possíveis calotes.

E finalmente, é possível calcular o índice de Contencioso (IC). Neste caso são considerados os casos de títulos que estão em cobrança judicial.

São dívidas que após tentativas de recebimento não restaram opções senão acionar na Justiça. São cobranças no departamento jurídico. Some os valores do contencioso e dívida sobre o total do “contas a receber”.

Como colocado o fundamental é a prevenção, mas observando atrasos, é preciso possuir métricas de controle e traçar metas de redução.

Administrar uma empresa vai além das questões dos produtos, envolve conhecimento sobre várias áreas e a principal delas é finanças. Considere, se necessário, consultar um especialista.

Related Posts