fbpx
Close

Juros e problemas financeiros

Cuidado com os juros

Você em sã consciência aceitaria pagar 13,44% de juros ao mês ou o equivalente a 354,14% ao ano? Penso que a resposta seria não. Pois é esta a taxa média de juros praticada pelos bancos para quem utiliza recursos do cheque especial. Isso sem falar do IOF que é o Imposto Sobre Operações Financeiras. Entrar no cheque especial é dar um tiro no próprio pé. Esta modalidade de crédito é de fácil utilização, mas você não pode utilizar este limite como se complementasse sua renda. Caso precise de dinheiro há modalidades mais baratas, como são os casos do crédito consignado e penhor de joias.

Para sair do cheque especial vale até vender um bem, mas para não entrar novamente, você deve primeiramente esquecer que possui este limite, ou seja, atue como se o crédito não estivesse disponível, depois é preciso organizar e controlar as finanças da casa.

Cada um de nós sabe o quanto é suado conseguir a renda mensal, portanto, cada centavo deve ser valorizado. Imagine estourou o cheque especial em mil reais o mês todo e ter que pagar mais de R$ 134,00 no fim do mês só de juros. Pesado não é?

Então seja firme e não gaste seu dinheiro com juros.

 

Problemas financeiros separam casais

Não sei se você tinha conhecimento, mas o desequilíbrio no orçamento da casa já é o principal motivo para separação de casais. Superou a questão sexual. Para evitar o desgaste no relacionamento quando se trata de dinheiro, tome alguns cuidados e tenha foco no deve ser feito.

O primeiro passo é dialogar. É preciso encontrar um modelo de gestão dos recursos da casa que seja bom para o casal. Às vezes a conta conjunta pode ser uma saída, em outros casos as contas separadas dão mais resultado. Não há uma única receita, portanto, é no diálogo que este ponto é resolvido.

É importante que o casal e seus dependentes tenham uma data fixa no mês para falar do orçamento da casa. Assim como as empresas projetam suas receitas, suas despesas e seus lucros, as famílias devem fazer a mesma coisa. Avaliar se o dinheiro que está entrando é o suficiente, se é possível conseguir rendas adicionais, e ter clareza em que está sendo gasto. Neste particular é necessário ter uma planilha que permita organizar tudo.

Na reunião familiar definia metas de gastos, ou melhor, de redução de gastos. Uma dica é estabelecer limites para as despesas da casa.

Também é fundamental que a reunião familiar não seja algo para lavar roupa suja. Todos são responsáveis pelo orçamento familiar, portanto, não adianta apontar o dedo buscando culpados. Cada um deve assumir sua responsabilidade e focar nas causas do problema.

Com disciplina, planejamento e controle é possível viver em harmonia na gestão das finanças da casa. Assuma o controle financeiro.

 

Com Doutorado, Mestrado e Especialização, Reinaldo Cafeo é Economista, Delegado do Conselho Regional de Economia, Consultor Empresarial em Economia e Finanças, Vice-presidente da Associação Comercial de Bauru e Diretor do Canal Planeta Economia no Youtube.

Related Posts