fbpx
Close

Fuja do cheque especial! 5 Motivos para você abandoná-lo de vez!

Quando as contas apertam, qualquer opção parece uma boa ideia para não terminar o mês sem dinheiro nenhum, e nessa hora muita gente cai na tentação de usar o cheque especial. Mas, o que muitos não sabem é que os juros desse tipo de recurso estão entre os mais altos do mercado, perdendo apenas para o cartão de crédito.

 

Vamos imaginar a seguinte situação:

 

O dinheiro de sua conta corrente zerou e você vê no extrato que possui R$1.000,00 disponíveis no cheque especial. Como ainda tem contas para pagar, decide usar o limite e promete que vai economizar durante o mês para que esse dinheiro seja debitado na data de seu próximo pagamento. Quando chega a data de seu pagamento, percebe que não vai conseguir pagar este valor e decide adiar a dívida para quando sobrar um dinheiro, já que suas contas continuam tomando todo o seu salário.

 

Quer entender o que pode acontecer com essa dívida ao fim de um ano? Continue lendo que vamos te explicar tudo o você que precisa saber para abandonar este perigo de vez!

1- Uma das maiores taxas de juros do mercado

 

Como já adiantamos, as taxas de juros do cheque especial estão entre as mais altas do mercado, perdendo apenas para o cartão de crédito.

Segundo o Banco Central, em abril deste ano a média dos juros de cheque especial era de cerca de 325%. Entretanto, analisando o Ranking de Tarifas disponível no portal do Banco Central, você verá que existem bancos que chegam a cobrar perto dos 500% de juros ao ano.

 

Vamos te mostrar o que isso significa na prática:

 

Vamos supor que seu banco está na média da cobrança de juros e possui uma tarifa de 300% ao ano, e que você está devendo aqueles R$1.000,00 que imaginamos no início. Ao final de um ano você terá uma dívida de R$3.000,00. Ou seja, irá pagar os R$1.000,00 que devia + R$2.000,00 só de juros!

2- Pode não parecer, mas o cheque especial é um empréstimo!

 

Apesar de não parecer, o cheque especial é um tipo de empréstimo, e é tão caro justamente porque o banco cede esse crédito sem solicitar nenhuma garantia.

Enquanto em um empréstimo comum seria preciso passar por uma avaliação, negociar as condições e assinar um contrato como garantia, no cheque especial você já tem esse crédito pré-aprovado e disponível para usar sempre que precisar — e é por isso que muita gente acaba usando esse recurso como extensão da conta corrente.

3- Ter limite disponível pode ser um convite para gastar.

 

Uma dica muito efetiva para não cair na tentação de usar o cheque especial é pedir ao banco para que reduza seu limite, já que sabemos que ver uma grande quantia disponível tão facilmente pode ser um convite para o deslize.

Se você possui um limite muito maior do que caberia em seu orçamento, peça ao banco que reduza para um valor baixo e que seja o suficiente para te ajudar em casos muito emergenciais. Assim, caso precise utilizar o cheque especial, será muito mais fácil negociar o pagamento de um valor mais baixo.

 

4- Os juros altos podem virar uma bola de neve

 

Como já vimos nos cálculos anteriores, ao final de um ano sua dívida de R$1.000,00 já teria chegado aos R$3.000,00, o que é um valor muito acima do que o que pegou emprestado.

Portanto, para juntar o valor necessário para pagar sua dívida você teria um esforço muito maior, o que pode virar uma bola de neve de juros já que ela cresce a cada mês.

 

5- Existem alternativas melhores

 

Até aqui já te mostramos os perigos de entrar na dívida do cheque especial, e agora vamos apontar algumas alternativas para que evite esse deslize.

Você já viu que o cheque especial é um empréstimo bem mais caro por representar um risco maior para o banco. Por isso, caso as contas apertem no final do mês, pode ser muito melhor fazer um empréstimo consignado que possui taxas em torno de 40% ao ano, portanto, significativamente mais baixas do que os juros do cheque especial.

 

A diferença é gigantesca:

 

Assim, com as taxas de empréstimo consignado  aqueles R$1.000,00 do início se tornariam R$1.400,00 ao final de um ano  — R$1.600,00 a menos do que com o juros que calculamos para o cheque especial. É muita diferença, não é?

Se você possui um veículo, refinanciar parte do valor dele também pode ser uma opção bem melhor do que o cheque especial, pois os juros deste tipo de operação são mais baixos até do que do empréstimo consignado. Verifique as taxas praticadas por seu banco e veja qual é a melhor opção.

 

Além disso, caso queira evitar qualquer tipo de empréstimo, uma alternativa é se desfazer de coisas que não usa mais. Existem várias formas de conseguir uma renda extra emergencial, e uma delas é vender objetos ou roupas que não usa mais. Assim, você levanta um dinheiro extra que pode ser o suficiente para evitar que faça uma dívida no cheque especial.

 

Mas, calma! Caso você já tenha se enrolado com o cheque especial e não sabe o que pode fazer para resolver esse problema, fizemos um artigo completo com dicas para te ajudar a negociar sua dívida. Clique aqui para conferir.


Para receber mais dicas incríveis como essas e ficar por dentro de tudo o que precisa para organizar sua vida financeira de uma vez por todas basta cadastrar seu e-mail abaixo.

Related Posts