fbpx
Close

Cuidado com o endividamento bancário de curto prazo

Não possuindo recursos suficientes para contratar profissionais especialistas em finanças e até mesmo consultoria na área, muitas empresas de pequeno porte não planejam sua estrutura financeira.

Os empreendedores são normalmente excelentes profissionais na área de produção ou vendas, mas não possuem habilidades financeiras.

Possuir uma adequada estrutura financeira é o primeiro passo para que o empreendimento prospere, que seja criado valor ao longo do tempo.

A máxima é: retorno de longo prazo, dinheiro de longo prazo. Os investimentos em ativos precisam de fontes de financiamento compatíveis em valor e tempo. Isso quer dizer que se a decisão for por adquirir um equipamento, cujo retorno se dará ao longo do tempo, os recursos financeiros devem ser também para amortizar no longo prazo.

No caso do financiamento dos investimentos operacionais, como sãos os casos de vendas a prazo (contas a receber) e estoques, o ideal é que os fornecedores destes produtos concedam prazos suficientes para bancarem o tempo de estocagem e o prazo de vendas. Em outras palavras: quem deve financiar a totalidade ou a maior parte dos ativos operacionais são os fornecedores.

Quando isso não acontece o endividamento de curto prazo aparece, sendo que esta modalidade é uma das mais caras disponíveis no mercado. Os juros, elevados, consumirão parte do lucro e as margens planejadas não serão praticadas.

Assim, quando decidir por investir em ativos tenha clareza que conseguirá fontes de financiamentos compatíveis com tempo de maturação destes ativos, evitando o endividamento de curo prazo.

Quem planeja a situação financeira da empresa, traça a direção correta e atinge seus objetivos e economiza em juros.

Related Posts